TE PERGUNTO



Meus olhos estavam abertos,
mas eu não conseguia ver.
Não queria entender.
Toda aquela solidão,
todas as palavras em vão.
Um vazio sombrio,
um sorriso oculto.
Eu me sentia confortável neste mundo fechado.
Agora tu abres a porta,
me olhas, eu quase morta.
Me carregas em teu colo,
me faz ver diferente.
Um beijo, um suspiro,
um novo ar que respiro.
Me deu a vida novamente.
Agora te pergunto, como tirá-lo da minha mente?
O que fazer, se decidires não mais este querer.


Tânia Faria