JOELHOS ARRANHADOS



Caí no chão,
escorregadio feito sabão.
Joelhos arranhados ,com olhares assustados.
Nenhuma mão,
levantei feito um furacão.
Sem palavras então
segui meu caminho.
Sofrendo calada sem ser amparada.
Aquele escorregão doeu de montão.
Nessa hora queria voltar a ser criança,
pra poder chorar à vontade,
sem ter que fingir ser a mulher de coragem...

Tânia Faria