UM MILAGRE SURGIR



Deitado naquele chão frio,
naquela rua onde muitos passavam correndo,
preocupados com suas vidas ou 
talvez apenas indo se divertir.
Éramos invisíveis, somente quando meu fiel amigo,
meu cão querido latia é que alguns olhares surgiam.
Eu olhava aquelas pessoas com agasalhos e
imaginava como poderia ser quente.
Eu olhava algumas passando comendo com
tão gosto que meu cão via em meu rosto à
vontade de matar nossa fome.
Ter frio e ter fome é como arrancar a pele do corpo
você estando vivo.
Uma dor que corrói e destrói à vontade de ter dignidade.
Naquele chão gelado o vento que bate no rosto e
seca sua existência.
Os poucos jornais que nos cobriam o vento levara.
O estômago que gritava por uma sopa quente ou
qualquer quebra dente.
Eu e me fiel amigo encolhidos,
já sem forças, apenas observando o mundo passar.
E o que nos restava era um milagre surgir,
com a simples e total esperança de
nosso Deus poder agir...

Tânia Faria