EM MEU QUARTO



Quando à noite chega,
sozinha em meu quarto não preciso mais sorrir,
não preciso mais fingir que sou feliz.
Entrego-me em meu eu verdadeiro,
vazio certeiro.
A solidão que transborda,
que sempre me acorda.
E ao nascer do sol,
ninguém precisa saber,
então volto à sorrir.
Abrem -se as cortinas da vida novamente e vou contracenando,
fazendo o mundo ao meu redor ser um pouquinho mais feliz...

Tânia Faria